QUEM CALA NÃO CONSENTE

Algumas pessoas têm o costume de dizer que Deus às vezes fica em silêncio ou que muitas vezes a resposta de Deus é o silêncio. Mas como viver na pele esse silêncio? Viver de verdade a frase clichê que dizemos para consolar as pessoas à nossa volta: Calma, às vezes a resposta de Deus é o silêncio. Viver o silêncio em tempos que nossa alma grita questionamentos do porquê da nossa dor, tempos que vivemos a angústia que não entendemos. ESSE é o tempo que não podemos acreditar que "Quem cala consente".

Deus pode estar calado no seu tempo de dor, mas Ele não consente! Deus não é inerte, Deus não te assiste de longe, Deus não desiste de lutar as suas lutas e mais do que isso, Ele nunca perde as batalhas que deveriam ser só Dele. Deus é aquele tipo de Pai que leva o nosso problema pro pessoal. E essa é a parte boa da história: quando as circunstâncias nos quebram, nos tornamos mais vulneráveis à onda de cuidado desse Pai.

Eu tenho sido envolvida por esse mar de consolo nas últimas semanas. Perdi um amigo que tanto me inspirou, que tanto ministrou sobre a minha vida, que tanto foi prestativo e carinhoso. Como dói a saudade dele mas ao mesmo tempo, como tenho ansiado ainda mais agora pelo encontro com meu Pai perfeito! Desde o primeiro instante desse sofrimento, me senti carregada no colo como quando eu era quando criança! Voltei à infância e aquela inocência de ter só um alguém para depositar toda a minha confiança!

Salmos, afirma: "Os que confiam no Senhor são como os montes de Sião que não se abalam, mas permanecem para sempre!" Que esperança linda, Senhor! Ser ainda criança mas ser como um dos montes de Sião! Nesse deserto da minha alma, não fui abalada! Pelo contrário, não existiu uma circunstância melhor para que eu pudesse te (re)conhecer e, assim espero, PERMANECER para sempre!

Conhecer até o seu silêncio, Pai, é muito gostoso! Porque no silêncio dos meus questionamentos, Você me pegou no colo e não precisou dizer nada, só lutou minha tristeza por mim! Um dos meus líderes costuma dizer que quando estamos tristes, o que faz diferença é a companhia e não as palavras! Dessa forma Jesus tem tratado comigo; Ele é a minha companhia e não precisa de dizer uma só palavra para eu me sentir melhor.

Depois dessa compreensão cair sobre mim, tenho admirado, cada vez mais, o silêncio de Jesus! Porque quando isso acontece significa que Ele está tão próximo que respostas e palavras nem são necessárias para me curar! Permita-se entender e amar o silêncio de Jesus! Admire Sua companhia ao invés de se perder na busca de respostas! Ele nunca consente!

Priscilla Freitas